Amigos de Produções

  • MARCELLO LOPES NEVES FILHO
  • Osmar
  • Nélio Torres
  • Joás de Almeida Seixas
  • COLIBRI FM
  • Ajalmar Maia
  • Tupinambá Barjud
  • TOM ALDA & VOLVOX BAND
  • João Tejo
  • Contrabanda
  • Gustavo Nogueira
  • Marcos Camargo
  • Alquimides Daera
  • EDUARDO ARAUJO
  • S@bore@r
 

Página de Produções

Informações do Perfil

*
SOUL JAZZ BAIÃO/ (o encontro do Jazz com o Baião)

Somos a essência do que nos resta, o direito de ser honestos com nós mesmos e poder ser feliz dentro das condições que vivemos, de ter caráter, respeito e responsabilidade com o que nos faz feliz. Neste caso só mesmo a música para aliviar a dor da desigualdade social, onde o sentimento de amor é a ferramenta mais adequada para sobreviver nestes tempos de impunidade e falta de respeito.

"SOUL JAZZ BAIÃO" é a diversidade, e pluralidade de interesses mostrando como transformar o cotidiano em poesia e música, com um formato de Jazz e baião unindo estes estilos musicais com a flexibilidade e variações de arranjos na transformação social da cultura musical.

Nosso objetivo é criar em todas as áreas de atuação, atividades que primem pelo incentivo ao prazer de pensar e ao de descobrir-se, considerando-os alimentos indispensáveis à sobrevivência da fantasia, da alegria da música e da vontade de viver. Voltado para o aumento da capacidade crítica da população em geral, sem nenhum preconceito de ordem religiosa, étnica ou social, e para a elevação do sentimento de auto-estima do artista, ou seja, de pertencimento à cidade, ao bairro e ao grupo social. Ações voltadas para a disseminação do conhecimento e do reconhecimento publico dos valores artísticos.

CLUBE DO JAZZ PARAÍBA BRASIL /
empresa privada de arte e cultura musical /
anuidade $R 90,00
João Pessoa - PB
CNPJ 34.248.151/0001-85
(83)988896640
(83)996894870 zap/
clubedojazzpb@hotmail.com
www.autores.ning.com
*
Distribuição Digital para as 36 melhores lojas digitais do mundo, com os serviços de música mais inovadores e nos mercados mais promissores, distribuição digital de sua música para cerca de 5 mil rádios no Brasil, você recebe um relatório com o nome das rádios que se interessaram e incluíram sua música em suas discotecas para eventuais execuções, o relatório é segmentado por cidade e estado, assim você pode reduzir os custos de envio de material físico (CD, impressos, etc) para PROMOÇÃO de sua música, ao distribuir sua música códigos de barra são criados para o seu álbum gratuitamente, se precisar de códigos ISRC a gente também pode gerá-los sem custo adicional. Divulgamos o seu produto utilizando-se de um completo mix de comunicação, composto de jornais, revistas, radio, televisão, banners, newsletters, revistas, agenda, artigos especiais. Shows (solos, duos, trios, quartetos, quintetos, orquestra, big band em congressos, praças publicas, clubes, trio elétrico, feiras e seminários, eventos particulares. * Disponibilizamos aos clientes um catálogo com os melhores músicos e cantores, técnicos especializados em som e iluminação, todos experientes na realização de eventos, seu evento ganha maior visibilidade tornando-se um grande sucesso, produtora musical especializada em jingles, trilhas, vinhetas, spots, vídeo clip, profissionais qualificados e músicos experientes.
*
O cotidiano de um artista é do interesse de seus fãs. O que ele faz quando não está nos palcos? Como compõe, o que fazem no tempo livre, como vêem a arte? Apercepção que um artista tem sobre si próprio não é, necessariamente, a visão que o público tem sobre eles. Planejar a própria carreira exige construção e consolidação de uma linguagem própria, única e pessoal, que permeie toda a comunicação. Estabelecer identidade, com conceito e persona, é importante para tornar as redes sociais do artista um reflexo da sua visão, daquilo que ele compartilha com suas músicas e com o público que o segue. A expansão contínua dos meios digitais resulta em uma grande diversidade de canais de comunicação, especialmente redes sociais. Cada canal possui seu valor próprio e, portanto, aplicabilidade e necessidades específicas. É importante utilizá-los de forma assertiva para que a comunicação não se perca e, ao mesmo tempo, não seja banalizada. As redes sociais se tornaram canais essenciais de divulgação no meio musical, usadas para promover lançamentos e eventos, além de aproximar o público do seu ídolo. É aí que surge o planejamento digital, que busca equilíbrio entre a linguagem de cada canal e o tipo de mensagem transmitida. Para traçar estratégias, é preciso entender cada artista, com suas especificidades, como: público, influências, contexto que está inserido, e seus objetivos, seja na esfera pessoal, musical ou comercial.
A utilização desta obra torna-se indispensável ao ser humano quanto aos seus conteúdos e conceitos de uma forma lúdica permitindo a fantasia de acordo com o pensamento do compositor.

Faça do seu processo criativo um contínuo pré-lançamento

“A partir de quando eu devo começar a divulgar o projeto? Começa quando você o cria”, resumiu Jacques Figueras durante o webinar (seminário pela web) exclusivo que ele deu para os seguidores dos canais informativos da UBC no último dia 23. “Quando você começa a pensar no single, no EP, no álbum, já deve começar a falar disso para as pessoas. Concorremos com muita gente por atenção em redes sociais, no YouTube, no mundo físico e digital. Coloque o seu público o tempo inteiro dentro da coisa. Muito artista gosta de estar numa caverna, cercado de silêncio e paz para criar. Mas, hoje em dia, já não funciona sair da caverna meses depois e dizer “aqui o meu disco”. Periga não ter ninguém na entrada esperando. Vá mostrando pouco a pouco: o verso, a introdução, o refrão. É tendência mostrar coisa inacabada, hoje em dia, e dar ao fã a sensação de que ajudou a fazer aquilo.”

Crie um conceito para cada trabalho, não lance nada por lançar

“Todo e qualquer artista, grande ou pequeno, busca a maior exposição da sua música. Mas um bom e antecipado planejamento envolve técnicas de marketing, administração, identidade visual, pesquisa de mercado e muitas outras coisas”, enumera Fitzgibbon.

Hyldon concorda e sabe bem disso na prática. O craque, autor de “Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda (Casinha de Sapé)”, lança nesta sexta-feira (31), dia mais temido pelos assalariados, o seu novo single, “Boletos”. Com canções cheias de ironia, humor, temas cotidianos e política, brinca com a dificuldade de pagar as contas no último dia do mês. A entrega do trabalho ganha, assim, uma piada pronta que certamente despertará mais interesse no público. “Passei o ano passado gravando um álbum. Contei com parceiros comerciais na OneRPM, na UBC, na WarnerChappell editora, além da minha equipe de mídias sociais, para promover cada um dos quatro singles já lançados. Quando veio a vez de 'Boletos', pensamos em lançar na época do ano que mais os concentra: além das contas normais, agora tem IPVA, IPTU, matrícula do colégio dos filhos, a conta dos presentes de Natal, viagem de férias, e por aí vai”, ele se diverte. O álbum completo deverá ter sido todo lançado em abril. Por quê? “Porque a seleção do Grammy começa nesse mês. É bom ter bastante margem para trabalhar o lançamento com calma”, ensina.

Não tenha medo de usar e abusar das redes sociais

Na era da exposição, quem fica na sombra só vai conseguir isso mesmo: não ser visto. Use as redes sociais para promover continuamente seu produto, inventando formas originais de abordar um mesmo lançamento várias vezes. “A Anitta fez isso há uma no e pouco. Ao longo de 12 meses, fez o lançamento de um single por mês. E com muita, muita promoção de cada um deles”, destaca Jacques Figueras como um exemplo de sucesso na divulgação. Mas ele alerta: só faça isso no seu perfil profissional, entre seus fãs e seguidores, não entre os amigos pessoais. “O público que o segue quer é mesmo ser bombardeado com coisas sobre você. Os amigos, não necessariamente. Não vá encher o saco deles”, brinca. Fitzgibbon faz coro e ensina: “Você tem que saber o tamanho do seu público nas redes sociais e tentar se comunicar com 50% dele, pelo menos. Geralmente, isso ocorre com duas a três semanas de antecipação ao lançamento. Se alcançar essa taxa, terá um impacto muito maior e mais eficaz.” A lógica é simples e certeira: os próprios fãs se encarregarão de espalhar a palavra. 

Entenda de uma vez o poder das playlists das plataformas

No passado, era a imprensa tradicional (que continua a ser relevante). Agora, a força maior está com as playlists. Aparecer nas playlists editoriais mais populares de plataformas como Spotify, Apple Music ou Deezer é um belo atalho para o sucesso. Mas não basta ir parar lá. É preciso entender como se manter. “No caso das playlists editoriais, feitas por editores das plataformas, é um jogo de funil invertido ou de bonecas russas. Você, primeiro, entra na playlist pequena. Se performar bem, vai subindo para uma maior, e assim sucessivamente. Quando está numa boa playlist, tem que divulgá-la absurdamente. Antes, divulgava a matéria de jornal em que saía. Hoje, é preciso divulgar a playlist usando suas redes sociais. O objetivo do artista é não só ficar numa playlist como conseguir ir para uma maior”, descreve Figueras.

A definição de boa performance passa pelos conceitos de skip rate (ou taxa de pulo para a próxima canção) e de play rate (número de audições). Quem consegue ter uma skip rate baixa e uma play rate alta se mantém na playlist e vai subindo posições até passar para as mais importantes, que, com centenas de milhares de audições todos os dias, dão não só uma visibilidade gigantesca como se traduzem em bons ganhos com direitos fonomecânicos e de execução pública. 

Conheça ferramentas das plataformas e dos agregadores. Saiba que recursos existem nesse ambiente digital e opine, envolva-se

Se você usa um agregador ou distribuidor digital para colocar sua música na plataforma de streaming, mantenha uma estreita comunicação com ele. Conte sempre ao seu distribuidor quando fará um lançamento, com antecipação de pelo menos três semanas, para que, juntos, vocês possam trabalhar essa canção. Muitos agregadores têm boa entrada com os editores das playlists e podem tentar emplacar a sua música numa de novos lançamentos, por exemplo. “O prazo mínimo para essa preparação é de três semanas”, crava Figueras. E ele vai além: também é fundamental que o artista conheça ferramentas elementares das plataformas de streaming e saiba usá-las ao seu favor. Tanto Spotify como Deezer, só para ficar nas duas plataformas exclusivas de áudio mais populares do país, têm funcionalidades especificamente desenhadas para os artistas, nas quais se pode fornecer o máximo de informação sobre o gênero da música, o público ao qual se destina, até mesmo o tipo de instrumento usado naquela determinada obra. Tudo isso ajuda o editor da plataforma musical a encaixar sua música na melhor playlist possível.

Do ponto de vista técnico, há ferramentas simples que ajudam a difundir a música de uma forma rápida e efetiva. “Uma delas é o smartlink (um método de divulgação maciça das músicas em todas as plataformas sem precisar copiar link por link); outra, o pre-save”, afirma Fitzgibbon. O pre-save permite criar engajamento antes da entrega efetiva da música, mantendo o suspense e dizendo ao público tudo sobre a data e o modelo do lançamento, o que gera curiosidade. Está disponível, de graça, em alguns agregadores digitais. 

Faça tudo isso depois de uma coisa elementar: criar um bom produto

Esta deveria, na verdade, estar abrindo esta lista. Parece óbvio, mas não custa lembrar que todo o marketing do mundo é incapaz de salvar uma música ruim. Ter os conhecimentos sobre como divulgar sua obra é um passo essencial nos tempos atuais, mas não deixe, jamais, de separar a maior parte do tempo para criar e lapidar sua criação. Entregue a melhor versão de si mesmo. “Com estes meus anos trabalhando com música, aprendi que não se vai muito longe sozinho e que, hoje, o artista tem que que estar antenado com as novidades mas sem deixar de compor e produzir suas músicas com sentimento e músicos do primeiro time. A divulgação, a distribuição e o marketing vêm depois. Sem conteúdo, a arte não vinga.”

 

Fotos de Produções

Caixa de Recados (23 comentários)

Você precisa ser um membro de Clube do Jazz Paraíba Brasil para adicionar comentários!

Entrar em Clube do Jazz Paraíba Brasil

Às 21:45 em 30 abril 2019, Produções disse...

Às 12:31 em 13 julho 2018, Produções disse...

Às 17:38 em 29 maio 2018, Produções disse...

Às 17:20 em 22 maio 2018, Produções disse...
Às 17:17 em 22 maio 2018, Produções disse...

Às 1:16 em 12 abril 2018, Produções disse...
Às 15:19 em 6 janeiro 2018, Produções disse...

As redes sociais criaram uma nova forma de exploração das dinâmicas de relacionamento entre as empresas e os seus clientes, o marketing nas redes sociais é mais pessoal e interativo do que qualquer outro meio, no entanto é também necessário ter em atenção de que estas novas ferramentas que surgem todos os dias são cada vez mais complexas e de difícil entendimento para o utilizador mais comum. Uma gestão profissional de marketing nas redes sociais exige o estudo e conhecimento de outras áreas como por exemplo as comunidades virtuais e as conexões. O marketing e a comunicação atravessam, portanto, hoje, um caminho que se pauta pela existência de diversificados canais de comunicação, com duas vias, através dos quais as marcas dialogam com os seus consumidores e vice-versa.

As redes sociais online apresentam-se atualmente como uma plataforma de interação com clientes e potenciais clientes, promovendo a fidelização. Permitem ainda que esta mesma interação seja em tempo real uma vez que estando estas Redes ligadas 24 horas/dia, 365 dias/ano as empresas e os seus utilizadores estão conectados quase que automaticamente, sabendo sempre a opinião de cada um. Por exemplo, a empresa lança um produto novo mas quer saber se o mesmo irá ter ou não sucesso no mercado, poderá efetuar um questionário aos seus seguidores e após tratamento das respostas sabe se será aceite ou não consoante está ou terá que ser alterado. Isto tudo em tempo real ou numa questão de dias, enquanto que através de outros sistemas antigos isto era tudo muito mais complicado e demorado. As redes sociais permitem mesmo à empresa uma espécie de estudo de mercado com um custo baixíssimo.

Às 21:19 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 21:16 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 21:15 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 19:16 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 19:15 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 19:14 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 19:14 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 19:13 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 19:12 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 19:12 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 18:58 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 18:55 em 9 novembro 2017, Produções disse...

Às 18:55 em 9 novembro 2017, Produções disse...

 
 
 

© 2020   Criado por Produções.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço